sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

A GULA!


Teobaldo comia muito. Comia, não... Devorava tudo o que tinha à sua volta. Doce, salgado, azedo, amargo, tudo tinha vez. Passava o dia devorando e à noite roncava como um porco. Certa vez, no meio da noite, além dos habituais havia outros roncos. Os de fome. Teobaldo levantou-se e foi até à cozinha. Lá chegando, encontrou sua esposa em cima da mesa engolindo e sendo engolida. Caiu duro. Teobaldo comia demais, mas não sabia comer.

4 comentários:

  1. Ai, ai, ainda bem q eu não preciso saber comer... hahahah! Pq comer demais eu já como! =P

    ResponderExcluir
  2. Estar aqui presente
    Com palavras
    Luzentes brilhantes…
    É como flutuar
    Em águas calmas
    E no fundo ver diamantes

    Um bom fim-de-semana
    Inundado de paz…

    O eterno abraço…

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do blog,
    estou acompanhando ...

    Abraços Literários.
    Marcos Miorinni

    porentreletras
    janelasetravessias
    oficinadefragmentos

    ResponderExcluir
  4. OlÁ!
    Seu blog é muito interessante...
    O meu só tem comida no layout!hehe
    Adorei seus escritos!

    ResponderExcluir